segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Principais Patologias do ombro

            O ombro é a articulação (ou conjunto destas) que unem o braço ao tronco. Apresenta a maior amplitude de movimentos de todas as articulações do corpo humano, sendo capaz de movimentar-se em variados planos, levando o braço, e a mão a imensas posições. Tendo tanta amplitude e possibilidade de movimentos torna-se uma das mais complexas redes de articulações, ligamentos e músculos do nosso corpo.

            É constituida por 3 ossos principais: Clavícula, Escápula (omoplata) e Úmero.



Imagem 1: Ossos principais.

            Estes 3 ossos estão ligados por ligamentos que permitem coordenar, restringir e orientar movimentos, unindo-os entre si. Os 3 principais ligamentos são: Acrômio-clavicular, que impede a luxação da clavicula; Gleno-umerais que se dividem em superior, médio e inferior, impedindo a deslocação do ombro; Esterno-clavicular, unindo a clavicula a zona do torax.

             A nivel múscular a articulação do ombro é suportada por vários elementos músculares que trabalham em conjunto de forma a realizar os movimentos. Existem músculos circundantes, que não são tão especificos, mas que ajudam nos movimentos do ombro (Deltóide, Peitoral, Trapézio Grande dorsal e Grande redondo).



Imagem 2: Músculos adjacentes

            No entanto, existe um grupo muscular essencial no correto funcionamento do ombro, chamado “Coifa dos Rotadores” que reforçam a cápsula articular resistindo aos deslocamentos da cabeça do Úmero (que é uma das grandes causas de lesões a nível do ombro). Eles são: Supra-espinhoso (responsável pela abdução); Infra-espinhoso (Rotação externa); Pequeno-redondo (Rotação externa e adução) e Infra-escapular (Rotação interna e adução).



Imagem 3: Músculos da Coifa dos Rotadores

Lesões e Patologias mais comuns

            Devido à complexidade e instabilidade deste conjunto de articulações, é mais propensa a algumas lesões, sendo algumas, com difícil tratamento. As mais comuns lesões e patologias do ombro são:

Luxação do ombro

            A luxação do ombro ocorre quando a cabeça do úmero sai da sua posição correta, ou seja, da cavidade glenóide. Isto pode ocorrer por variados motivos, mas está directamente relacionada com uma hiperextensão ou mesmo ruptura de um dos ligamentos. As luxações podem ser anteriores, posteriores, superiores ou inferiores, dependendo do ligamento lesionado ou do tipo de trauma que ocorreu. Sendo a mais comum a anterior, pois acontece quando o membro está em abdução e rotação externa, que é das posições mais comuns no dia-a-dia.


             Poderá haver a tendencia de a luxação do ombro, se tornar crónica, devido à laxidão dos ligamentos, fazendo com que o ombro de desloque ao minimo movimento. Nestes casos, a cirurgia é imperativa. Pode ocorrer também uma sub-luxação, isto é, o úmero sai da cavidade glenóide mas retorna ao local por si só.
            Quando ocorre a luxação, é necessária a recolocação do ombro no sitio rápidamente, para evitar maiores lesões ligamentares. Depois disto, é importante a imobilização total desta articulação de forma a que a cicatrização de uma provável lesão no ligamento, seja feita na posição correta. Para isto, existem variados dispositivos que ajudam a manter o membro superior imobilizado.  

Lesão na “Coifa dos Rotadores”

            Como falado anteriormente, a Coifa dos Rotadores é um conjunto de músculos e tendões que rodeiam a articulação do ombro, sendo os principais responsáveis pelos movimentos mais abrangentes do ombro. As lesões ocorridas nesta zona são comuns e podem ocorrer por lesões nos tendões, por repetição constante de movimentos (tendinites), pelo envelhecimento dos mesmos ou por trauma (rupturas). Estas situações vão causar dor, falta de força e diminuição da mobilidade.


Imagem 5: Ligamentos da Coifa

            A maioria das lesões ocorre pelo o excesso do uso dos tendões ao longo do tempo, sendo mais ocorrente no braço do lado dominante. Este processo pode ser acelerado por:
Esforços e/ou posições repetitivas( movimentos a nível profissional ou desportistas)
Em processo de envelhecimento, quando ocorre diminuição do fluxo sanguíneo. 
Esporões a nivel acromial ou noutra estrutura do ombro, que leva ao enfraquecimento dos tendões.
Traumas.



Imagem 6: Lesão na Coifa

            Por isto, este tipo de lesão é comum em adultos acima dos 40 anos, ou mais cedo em caso de desportistas de alto rendimento em determinado desporto, profissionais em que mantenham o membro superior elevado durante grandes periodos ou em caso de queda ou outro tipo de traumas.
            Como sintomas para a lesão na coifa temos dor recorrente, mas mais notória em repouso, dor ao movimentar o braço, falta de força e poderá existir sensação de crepitação durante o movimento. Inicialmente a dor é ligeira mas com o tempo piora evidentemente podendo tornar-se permanente.
            Nestes casos, é aconselhada a fisioterapia para mobilizar a articulação, mas fazer também periodos de repouso com imobilizadores de braço. Em casos mais severos, será recomendada a cirurgia.

Artrite

            Artrite é a inflamação das articulações que ocorre quando o sistema imunulógico decide atacar as estruturas articulares do próprio corpo, sendo por isto uma doença autoimune. Uma das articulações mais afectadas é o ombro, mas por norma ataca variadas articulações, se não tratada precocemente. Embora a maior parte da causa desta doença seja autoimune poderá também ocorrer por trauma, que leva depois a um processo inflamatorio daquela região.
Um individuo com artrite sente dores e também alguma rigidez na articulação. Deverá fazer alguns tipos de exercicios para reabilitação ao mesmo tempo que terá que ser acompanhado com medicamentos para evitar a progressão da doença.
No caso do ombro, em fases agudas da doença, poderá ser necessária a imobilização para melhorar os periodos de dor. 

Bursite

            Uma articulação sinovial é aquela que é revestida de cartilagem com liquido sinovial que alivia o artrito durante o movimento. Essas articulações, são as mais móveis do corpo humano mas por terem pequenas glândulas (Bursas) que podem inflamar, tem um risco grande de vir a ter uma Bursite (Processo inflamatório da bursa). No caso do ombro, é a Bursa Subacromial que inflama, sendo responsável por proteger todos os tecidos envolventes ao acrómio.          


Imagem 7: Bursite

            Por norma, este processo inflamatorio surge pela repetição de movimentos ao longo do tempo, e causa dor e limitação no movimento. Nestes casos, é importante a medicação prescrita pelo médico e o fortalecimento dos musculos do ombro para evitar desiquilibrios de força.
            Claro está, que a Bursite é uma das tendinites mais comuns no ombro, mas poderão ocorrer tendinites noutros tendões subjacentes, pelos mesmos motivos, e com tratamento identico.

Artrose

            A artrose tem maior incidencia a partir dos 65 anos mas pode ocorrer em pessoas mais jovens. Este tipo de patologia faz o individuo perder os movimentos progressivamente devido à dor presente. Na artrose as cartilagens que protegem as articulações encontram-se mais ásperas o que causa muito artrito no movimento, atrito este, que mais tarde poderá levar ao destruimento de toda a cartilagem.

            Para o tratamento desta condição o mais importante é aliviar a dor, com medicação, periodos de imobilização e melhorar a capacidade funcional da articulação através de movimentos suaves e controlados, fazendo com que a patologia não progrida.



Imagem 8: Artrose no ombro

Síndrome do ombro congelado

Também conhecido como capsulite adesiva, a síndrome do ombro congelado é caracterizada por uma rigidez e dor na articulação do ombro. Esta síndrome tem várias fases:

Fase 1 -  Ainda existe alguma mobilidade mas já existe uma inflamação na membrana sinovial, causando dor em todo o tipo de movimento articular.
Fase 2 -  Existe uma evolução da sinovite, levando à aderencia da capsula sinovial à cabeça do úmero, fazendo com que a articulação começe a perder movimentos. A dor começa a diminuir, á medida que a articulação se torna mais rígida. Esta fase pode prolongar-se até 18 meses.
Fase 3 -  A articulação começa a perder rigidez e a voltar a ter movimentos normais, embora esta patologia deixará os pacientes com perca de 15% a 20% dos movimentos.
           

Imagem 9: Sindrome do ombro congelado

            O tratamento deve ser iniciado logo na fase dolorosa, com medicação para as dores e terapias como a acunputura e terapias manuais (massagens, exercícios passivos). Periodos de imobilização também poderão ser feitos, pois não se deve forçar movimentos nesta fase da patologia. Passando a fase da dor, deverá ser feita a reabilitação para recuperar o máximo de movimentos possíveis.

             Na maior parte das lesões e patologias faladas anteriormente, é aconselhado periodos de imobilização. Para isso existem suportes apropriados, para cada tipo de patologia. Poderá ser só necessário uma imobilização simples, ou colocar a articulação numa determinada posição e angulo.



terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Air Relax, botas pneumática de recuperação.




A bota Air Relax é um sistema de terapia muscular avançado. Ela faz uma espécie de massagem pneumática, que auxilia na recuperação muscular de atletas. Ela dissipa o ácido lático produzido enquanto os atletas descansam. Diminui o tempo de recuperação entre as atividades físicas, e elimina praticamente 100% as dores musculares.
Ela auxilia também, enfermos com problemas de circulação vascular de membros inferiores.


Air Relax terapia de massagem profissional . Ajuda a aliviar problemas no joelho, inchaço na perna, tensão, varizes, retenção de água e cólicas. Melhora a circulação sanguínea e do sistema linfático.

A tecnologia Air Relax Compression dá aos atletas a vantagem competitiva! Acreditamos que a recuperação é tão importante quanto o treinamento e a nutrição, e deve ser parte integrante do programa de treinamento de cada atleta. O sistema de compressão Air Relax é projetado para ajudar os atletas a se recuperar mais rápido e a funcionar melhor. Mas não basta tomar a nossa palavra, a nossa tecnologia é apoiada por inúmeros estudos que destacam os aprimoramentos no desempenho atlético através da compressão dinâmica.

Os dispositivos de compressão pneumática intermitente (IPC) são usados para ajudar a prevenir coágulos de sangue nas veias profundas das pernas. Os dispositivos usam punhos ao redor das pernas que se enchem de ar e apertam suas pernas. Isso aumenta o fluxo sanguíneo pelas veias das pernas e ajuda a evitar coágulos de sangue.

As botas pneumáticas proporcionam a recuperação de pernas, braços e quadril, através de ar comprimido por dispositivos de compressão dinâmica, melhorando o fluxo sanguíneo. O modelo mais utilizado é a bota para as pernas. Elas costumam ser utilizadas após um treinamento intenso ou de longo volume.

O processo inicial, após o atleta vestir as botas pneumáticas, é acionar o sistema de controle eletrônico que infla e comprime pés e pernas, através da pressão do fluxo de ar, massageando diferentes pontos rapidamente.

No Brasil, algumas clínicas de fisioterapia esportiva têm sessões desse serviço. Em algumas provas de corridas de rua e triathlons, os organizadores oferecem o serviço gratuitamente aos atletas inscritos, nos locais de retiradas de kit ou na expo das competições.

terça-feira, 18 de julho de 2017

A verdade que você precisa conhecer sobre o Ácido Lático.


Você sabia que por muitos anos foi comum acreditar que dores musculares eram causadas pelo aumento da produção de ácido lático? Acontece que mais uma vez, a ciência desbancou essa crença.

A queimação que você sente enquanto se exercita é sim causada pelo ácido lático, entretanto, o seu corpo trata de eliminá-lo muito rapidamente.

É importante você saber que, na verdade, o ácido lático é um combustível do seu músculo, e não um catabólito como se pensava.

Vamos entender como isso funciona: o seu músculo produz ácido lático da glicose, que por sua vez é direcionado para a sua mitocôndria. Então, quanto mais em forma você estiver, mais adaptado o seu músculo vai estar para usá-lo. Ou seja, quanto maior o seu músculo estiver mais mitocôndrias você terá e seu sistema de queima de ácido lático ficará mais eficiente.

As dores musculares pós-exercício ocorrem devido à inflamação decorrente de lesões microscópicas nas suas fibras musculares.

Evite analgésico como tratamento

Não é aconselhável usar analgésicos como a Aspirina e o Ibuprofeno, por exemplo, para tratamento de dores musculares. A um longo prazo, esses medicamentos podem comprometer a permeabilidade da mucosa intestinal permitindo que bactérias e enzimas digestivas entrem na corrente sanguínea.

Os indivíduos que usam esse tipo de medicação antes de treinar podem estar comprometendo a absorção de nutrientes importantes, tornando mais difícil o desenvolvimento muscular.

Como prevenir naturalmente as dores pós-exercício

Para que você alcance o resultado desejado sem sofrimento ou tratamento errado, é muito importante que você:

1) tenha uma alimentação adequada ao seu tipo metabólico;
2) procure se exercitar corretamente;
3) tenha tempo correto de descanso e recuperação; e
4) faça uso da crioterapia (gelo).

O cuidado e nutrição dos seus músculos

Com o objetivo de fortalecer sua musculatura criando tecidos mais resistentes à inflamação, há importantes fatores na nutrição do exercício que você precisa conhecer e adotar. Tome nota!
1) Consuma gorduras saudáveis, proteína em moderação e pouco carboidrato;
2) Reduza ao máximo os açúcares, mesmo os sport drinks e a barras energéticas;
3) Faça uso da quantidade adequada de aminoácidos essenciais, especialmente a leucina;
4) Respeite o intervalo correto de refeições pós-treino. Você deve se alimentar de 30 a 120 minutos após o treino, sendo que quanto antes melhor, pois a janela de assimilação de protéica acontece nesse intervalo;
5) Evite frutose no pós-treino, pois ela reduz a habilidade de produção do hormônio do crescimento (HGH). O HGH é fundamental na reparação tecidual e se o seu nível for baixo certamente você terá dores pós-treino.

Suporte nutricional para dores musculares causados pelo exercício

Saiba como se comportar em caso de dores musculares causadas pelo exercício. Abaixo listo algumas soluções práticas e muito vantajosas para você.

1) Gengibre: analgésico natural capaz de reduzir a dores musculares em 24%;
2) Curcumin ou Turmeric: reduz a dor e a inflamação e melhora a mobilidade;
3) Ômega 3: gordura benéfica com alto efeito antiinflamatório, assim como benéfica para o coração;
4) MSM: muito usado em dores articulares, melhora o metabolismo e reduz a inflamação;
5) Astaxantina: potente antioxidante que reduz a dor e acelera a recuperação tecidual;
6) Arnica: foi demonstrado que reduz dores musculares por exercício.

Referências Bibliográficas:
– J. Strenght Conditioning Research. March 21, 2013
– J. Int. Soc Sports Nutr. 2010
– Adv. Exp. Med. Biol. 2007
Fonte:
http://www.drrondo.com/a-verdade-que-voce-precisa-conhecer-sobre-o-acido-latico/

domingo, 7 de maio de 2017

Ventosa Terapia: Tratamento Para Dores, Estresse e Desintoxicante



Uma técnica muito antiga que se tornou popular como uma alternativa minimamente invasiva para desintoxicar o organismo, reduzir dores, desconfortos, estresse e tudo o que tenha a ver com o alinhamento da energia. É praticada em sessões com um profissional que usa algumas taças de vidro ou plástico para aderi-las em diferentes áreas do corpo.

A terapia de ventosas como é chamada é uma técnica muito antiga, por meio da qual uma ventosa faz um efeito de vácuo sobre o corpo sugando a pele e o músculo (ou parte dele) e, portanto, abrindo os poros e mobilizando a circulação sanguínea e linfática do corpo.

A ventosa terapia é muito antiga e se expandiu em diferentes culturas. Acredita-se que no Egito (2200 aC) e na Índia a Medicina Ayurveda, utilizava a prática médica com ventosas. Também existem registros na Grécia com Hipócrates (400 aC) que foi quem se sabe que deixou as primeiras indicações detalhadas sobre a utilização desta terapia e mais tarde médico como Galeno a moldarão em forma de textos médicos. Nos países árabes se chamava Hijama e as culturas primitivas xamânicas utilizavam as ventosas para sugar o espírito causador da doença no corpo.


Mas sua maior referência está associada com a medicina tradicional chinesa (existe há mais de 3000 anos), onde se utiliza muito comumente em pessoas de todas as idades.

Ventosa Terapia: Tratamento Para Dores, Estresse e Desintoxicante
Como Se Pratica A Ventosa Terapia

O tratamento requer um ambiente calmo e relaxado, onde ocorrerá a sessão de ventosa terapia. É feito mediante a aplicação de copos de vidro ou de plástico (são taças chinesas), em forma de ventosas. São aquecidas com fogo para consumir o oxigênio que está dentro da ventosa e imediatamente aplicada sobre a pele antes que volte a entrar mais oxigênio. Isto é feito com uma pinça colocando um algodão cheio de álcool, em seguida, pega fogo e rapidamente se introduz no vidro. Retira-se o calor que fica aprisionado no interior do copo e ali você pode colocar sobre a pele.

Desta maneira, se gera o vácuo que permite colocá-las em determinados pontos energéticos do corpo sem que caiam. A sucção que exercem as ventosas é o que consegue desbloquear os pontos energéticos obstruídos para restaurar o fluxo de energia e ajudar o paciente a desintoxicar o seu organismo durante cada sessão.

Se pratica como um método de medicina alternativa e em SPA sempre orientada por um profissional que geralmente a acompanha com massagens.

Outros Benefícios Da Ventosa Terapia

Esta terapia é segura e confortável, nada invasiva nem dolorosa e muito semelhante a uma sessão de massagens. Adapta-se a todas as pessoas, já que ajuda a melhorar muitos problemas de saúde, como dor muscular, fadiga, artrite, prisão de ventre, alergias, asma, problemas de pele e tratamento da dor em geral. Também funciona para tratar a celulite, a mobilização da gordura localizada, regula e melhora as funções do sistema nervoso, aliviam o estresse, ansiedade, dores nas costas e ajuda com a depressão, entre outros.